03
Mai 06
publicado por brmf, às 21:29link do post | comentar

O futebol apaixona multidões. Um jogo de futebol é o local sagrado para descarregar fúrias internas. Para todos os apaixonados por este desporto mágico que há dezenas (tal como hoje o conhecemos há cerca de um século) de anos encanta os seus aficionados, recomendo vivamente um livro de futebol intitulado Os Magos do Futebol, de Luís Freitas Lobo. Um livro que mais do que falar de futebol – jogo jogado – é uma lição de história. A história recente tem muitas ligações com o futebol e o futebol com a história. Os amantes do futebol, quase como filosofia de vida, devem ler este livro, que além de ser muito bem escrito contém um conteúdo muito mais rico do que possa parecer quando se pensa num livro sobre futebol. Entender o futebol entre o fascismo, o nazismo e demais ideologias políticas que ensombraram este século é um exercício tremendo de encantamento sobre este desporto.

Até para quem este desporto nada diz, estou certo que no fim da sua leitura, pelo menos, terá uma pequena simpatia por este deporto que quebrou barreiras e uniu pela força do futebol o que parecia para sempre afastado.

Deixo como pequeno aperitivo, esta passagem do livro que estou certo não deixará ninguém indiferente:

 

« No momento em que o ódio nazi estrangulava o desporto, emergiu, destemido, um homem feito mito: Jesse Owens, um felino negro que elegantemente bate, no salto em comprimento e nos 100 metros, os loiros favoritos alemães. Enraivecido, o Führer  nem assistiu à entrega das medalhas, abandonando o estádio com furiosos passos em botas cardadas. Na história do desporto nunca mais ninguém esqueceu o dia em que aquele americano desafiou o monstro nazi e provou ao mundo a força do desporto como forma de combater ou suportar regimes políticos, sejam eles de que ideologia forem.

Dois anos depois, em 1938, no Mundial de Futebol, surge em Paris, com a mesma intenção de conquistar o mundo.

….

Destemidos, 11 suíços driblaram a intolerância racista e, utilizando uma matreira táctica de contra-ataque, derrotaram, com estrondo, 60 milhões de alemães, por 4-2.

Tal como dois anos antes, quando Jesse Owens, um negro americano, vergara a superioridade racial ariana, o Führer espumou de raiva perante esta nova humilhação desportiva. O Império germânico falhara a sua primeira tentativa de atacar o Olimpo da Bola. »

 

 

Em suma, um livro apaixonante para apaixonados por este desporto (tal como eu) e apaixonados pela história e principais figuras que a marcaram. É o encontro do futebol com a História num campo de futebol rasurado por caracteres.

Secções: ,

o docontra e eu
Sempre a par
pesquisar neste blog
 
Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
13

14
20

21
25

28


comentários recentes
Meus amigos lá é uma nova maneira de se tornar mui...
Nós somos um fornecedor de empréstimos de dinheiro...
Grave um depoimento dinheiro pronto quando bancos ...
Twitter
links
Twingly BlogRank