18
Jan 13
publicado por brmf, às 13:40link do post | comentar

1. Que grande desilusão. E, caso o Jan Ullrich, o eterno segundo, tenha corrido de forma limpa - o que também foi posto em causa - é o gajo mais gravemente prejudicado da história do desporto.

 

2. Então, a asfixia democrática já era? Eu nem aprecio o estilo do Alfredo Barroso, atira em tudo que mexe, e não raras vezes de forma menos elegante, mas que cheira mal, lá isso cheira. Como cheira mal que figuras ligadas ao Governo decidam quem os contrapõe nos frente-a-frente do Programa.


30
Nov 12
publicado por brmf, às 16:17link do post | comentar

Governo, 15-03-2012: "O governo decidiu, esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, só dar tolerância de ponto aos funcionários públicos, este ano, no dia 24 de dezembro"

 

Governo, 29-11-2012: "O Governo anunciou, esta quinta-feira, que haverá tolerância de ponto para os funcionários públicos na véspera de natal e na véspera do ano novo".

 

Em Março, os Portugueses não entenderiam tolerâncias de ponto num ano onde se retiram quatro feriados; Em Novembro, a justificação é o dia do feriado, a terça-feira. Só encontro uma justificação: consultaram o calendário errado em Março.

 

Este governo, tão célere a acabar com quatro feriados, não é capaz de acabar com a pouca vergonha das tolerâncias de ponto. Quem quisesse  tolerância de ponto tinha bom remédio: desconto do dia nas férias. Este novo conceito de "tolerãncia de ponto" serviria apenas para que todos pudessem usufruir do dia. Ou seja, o Estado apenas teria de "libertar" o dia, podendo qualquer funcionário tirar férias na data.


03
Out 12
publicado por brmf, às 13:08link do post | comentar

Grassa por aí a ideia que uma fornada ímpar de jogadores faz o Barcelona (exemplo). É uma ideia vastamente difundida. Segundo estas pobres almas, com aqueles jogadores, o Barcelona tinha obrigação de fazer mais e melhor. Mais significa para eles atacar mais; e melhor significa ser mais incisivo no ataque. Pormenor a mais ou menos é isto que defendem. É o que se pode chamar de um “erro de concordância entre o sujeito e o objecto”.

Meus caros, foi o Barcelona que tornou um conjunto de indivíduos reunidos numa fornada ímpar de jogadores. Desconfio que Busquets não passasse de um médio mediano em qualquer equipa. Desconfio que Piquet fosse um central banal em qualquer equipa. Desconfio que o próprio Xavi fosse apenas um bom jogador em qualquer equipa. Lembremo-nos que Xavi joga no Barça como titular desde os 20 anos e não é hoje o que era nos inícios da carreira. Desconfio até que o Iniesta não fosse mais do que um bom jogador em qualquer equipa. Para não falar do Villa, Pedro Rodriguez, Puyol. Claro que têm um extraterrestre, mas esse não conta, não é ele que faz o Barcelona actual; aliás, é o Barcelona que exponencia o seu génio. O Barcelona é único porque revolucionou o futebol desde a chegada de Don Pepe. Já sei que também ganhou com Riijkaard, mas não com este futebol. Basta verificar que o jogador mais caro contratado durante este período foi o que menos sucesso teve apesar de ser uma estrela mundial, Ibrahimovic. No dia que o Barcelona “fizer muito mais do que apenas trocar a bola e voltar a trocá-la”, deixará de ser o Barcelona da fornada ímpar de jogadores. Se o Barcelona quisesse golear os adversários não terminava os jogos com “770 passes correctos e 76% de posse de bola”. O Barcelona “termina os jogos com 770 passes correctos e 76%” porque “troca a bola e volta a trocá-la”. Podia jogar diferente? Podia. Mas não era a mesma coisa. Nem os jogadores, apesar de ostentarem a camiseta com os seus nomes gravados, seriam os mesmos.


28
Set 12
publicado por brmf, às 12:02link do post | comentar

"Será que mais dois meses de vida, independentemente dessa qualidade de vida, justifica uma terapêutica de 50 mil, 100 mil ou 200 mil euros?"

 

Qual é a diferença disto e da Eutanásia? É pior - é deixar morrer lentamente.

 

Claro que há desperdício na Saúde e deve ser cortado. Claro que, p.e, na escolha de dois medicamentos com resultados similares cientificamente comprovados deve-se optar pelo mais barato. Etc, etc. Mas não se pode justificar a indignidade com a crise. Não se pode proibir as pessoas de pôr fim à sua vida por livre iniciativa e ao mesmo tempo não lhes prestar cuidados que minorem, pelo menos, o seu sofrimento.

 

Há tanto por onde cortar...

 

Quem ler a imprensa e certa bloga julga que nós gastamos o que temos e o que não temos. Isto não é verdade. As projecções do ministério das finanças apontam para um saldo primário positivo no período 2012-2016. O nosso problema é o pagamento da dívida. Pergunto eu: para pagar aos nossos credores vamos deixar morrer os nossos doentes. Como diz o bastonário da ordem dos médicos e bem: "Vamos regressar ao princípio Ceausescu de que o mais barato é o doente morto?". Os juros são grosso modo a soma de duas variáveis: remuneração + risco. É preciso negociar com base nisto. O Governo não pode ser forte com os fracos e fraco com os fortes.

 

[Fonte]

 


24
Set 12
publicado por brmf, às 19:17link do post | comentar

´Modus operandi de Palermo´: roubar nos primeiros jogos do campeonato; ganhar vantagem suficiente; e depois dar umas benesses no fim, quando não interessar para nada, para dizerem que os "erros" foram repartidos.

Perguntam vocês - e então não há culpa própria? Claro que há, mas deixem-me responder com a adaptação de um discurso do ministro submarino. Se me perguntam se eu acho que a época foi mal planeada. Claro foi. Se me perguntam se eu faria de forma diferente.  Claro que faria. Se me perguntam se já estava na hora do JJ sair. Já ia tarde. Se me perguntam se eu acho que já era hora do LFV sair. Já disse e escrevi que sim. Se me perguntam para além disso se eu acho que isto continua tudo a mesma merda. Não tenho dúvidas que sim.

 


11
Set 12
publicado por brmf, às 13:32link do post | comentar

Eu até tinha – e tenho* - simpatia por algumas ideias do ministro Nuno Crato, mas dizer que “o País vai precisar de menos professores” e não concordar com um jornal que titulou uma entrevista sua com “País tem professores a mais” é algo um pouco surreal. E a emenda ainda foi pior que o soneto. Tentou explicar por linhas travessas que nunca disse que “quer mandar professores embora”. As duas coisas que disse é que não são a mesma coisa.

 

*Concordo com algumas coisas: por exemplo, acho muito bem que as bolsas de estudo universitárias estejam relacionadas com o mérito académico. Não faz sentido pôr os contribuintes a financiar alunos adultos que repetem o ano consecutivamente. Aliás, até o financiamento do sistema universitário público devia estar associado ao mérito académico. Devia existir um contrato entre o aluno e o Estado com direitos e deveres. Se o aluno não quiser cumprir tem bom remédio: ensino universitário privado.


10
Set 12
publicado por brmf, às 15:47link do post | comentar

Fiscalistas aí da praça, expliquem-me uma coisa: como é que a medida de um corte num dos subsídios dos funcionários públicos é compensada com 1.25 pp de aumento da receita via descontos para a Segurança Social (diferença entre aumento da comparticipação dos trabalhadores e diminuição das empresas) mais uns pozinhos via aumento da receita em sede de IRS e IRC? Eu não fiz as contas, até porque não as sei fazer, mas é por demais evidente que a austeridade não vai ficar por aqui. Não chega! Esta medida não resolve o problema do défice. Esta medida é uma opção ideológica de uns tipos que acreditam que através do empobrecimento geral da população vamos ter um novo paradigma sócio-económico de competitividade pelos baixos salários e espírito acrítico dos portugueses. É que não nos iludamos: vamos viver pior e menos livres. Contudo, acho que o Governo não se está a dar conta de uma coisa, ou se se tiver dado ainda é pior, significaria que queria criar uma ilha privada de meia-dúzia de tubarões com um cardume de sardinhas pronto a ser degustado. E o que, acredito eu, o governo não se está a dar conta, é que não vai haver quem pague o seu experiencialismo social revolucionário. O povo, aquele que pode, está a abandonar o barco. Na ânsia de um mundo novo, a sardinha pequena vai acabar comida pela fome dos tubarões. Acabada a sardinha, morrem os tubarões à fome.

 

_

Ricochete


07
Set 12
publicado por brmf, às 12:55link do post | comentar
"É significativo que, quando estava em causa apenas a avaliação e a carreira dos professores, 150000 se tenham manifestado contra a ministra da Educação da altura. A FENPROF parece existir apenas para defender direitos adquiridos pelos professores do quadro, não para defender o Ensino ou os professores contratados. Quando um sindicato se demite da responsabilidade de defender os mais desprotegidos da classe, o que poderemos fazer para lutar contra a política de terra queimada deste Governo?"

Arrastão: Os suspeitos do costume.

 

* Mas os sindicatos não servem para isto mesmo?, para garantir e defender os direitos de quem paga as quotas e que tem poder reivindicativo? A Esquerda a fazer-se de inocente...


04
Set 12
publicado por brmf, às 12:40link do post | comentar

  1. Witsel. O problema não é a venda de Witsel; é a inexistência de alternativas. E não me venham com tretas que esta era uma situação inesperada. Mesmo com Witsel estávamos deficitários nas posições 6 e 8. Quando imagino que o plantel tem seis extremos (ok, admito que pensavam que iriam vender Gaitán; neste caso particular não critico, o mercado é o que é), não tem um defesa-esquerdo de raiz, tem só um defesa-direito e tinha, antes destes últimos dias loucos do mercado, três jogadores para duas posições (Witsel, Javi e Matic), apetece-me saltar de um prédio de 100 andares. É só.

  2. Hulk. “Não tinha nenhum motivo para sair. Tinha mais quatro anos de contrato. Na sexta-feira havia fechado o mercado. De repente, chega uma proposta do Zenit que já estava em negociações com o FC Porto. Foi bom para o clube, vai ser bom para mim." (Hulk) Nota-se um entusiasmo tão grande de Hulk nestas palavras que até eu pulo de alegria ao sentir a sua felicidade. Dá a entender que o Hulk foi convidado cordialmente a sair. Os cofres fizeram o convite. Depois deve ter-se lembrado dos joelhos do Paulo Assunção e disse para si, “bem, afinal era mesmo isto que eu queria”. Olhem, mas confesso que tenho pena, uns meses antes e ainda dava para manter o basquetebol.

  3. O negócio financeiro do Witsel é melhor – o retorno financeiro, sublinho financeiro, foi superior; o negócio desportivo do Hulk é menos mau - o clube de Palermo de Contumil tem mais capacidade de substituir Hulk, o plantel é bem mais equilibrado.


31
Ago 12
publicado por brmf, às 19:57link do post | comentar
Foram os marcadores dos dois golos mais importantes da nossa caminhada para o título há três épocas atrás.







publicado por brmf, às 13:43link do post | comentar

 

1. Ainda se ganhavam uns trocos com a troca do Sálvio pelo Gaitán, creio eu. Mas se ninguém pagasse pelo Gaitán, ficávamos com ele e deixávamos o Sálvio por Espanha;

2. Confesso que tenho dúvidas relativamente ao defesa-esquerdo, gostava de um que desse mais garantias, assim tipo Coentrão :) Mas esta solução é melhor do que a que temos;

3. Eu sei, está ali o Quim, continuo sem perceber porque foi despachado. Mas se não fosse este, poderia ser o Oblak.


11
Mai 12
publicado por brmf, às 12:54link do post | comentar

O Benfica tem o melhor plantel português com larga margem, só precisa de alguns retoques para o próximo ano. Se eu fosse dirigente era simples: 2 ou 3 vendas para obter receita para investir em 4 jogadores de qualidade indiscutível. Precisamos de um defesa-direito, um defesa-esquerdo, um ala, e um avançado. O resto era composto com regressos de emprestados e dispensas. Dos jogadores que eu acho imprescindível manter estão o Artur, o Luisão, o Garay, o Maxi Pereira, o Javi e o Witsel. Quanto aos outros jogadores é analisar caso a caso. Claro que se sair Aimar é preciso outro "patrão" para o meio-campo. Tenho pena que entre os imprescindíveis não haja nenhum português. Daí as propostas que apresento seguidamente.

 

Para vender, sem hesitações, dado ser provavelmente o jogador do plantel com maior cotação, temos o Gaitan. €20M por um jogador irregular acho um óptimo negócio, tudo o que vier por acréscimo é lucro.

 

Perante uma boa proposta, dada a idade e ser provavelmente a última oportunidade para o vender por um valor interessante, apostaria na venda do Cardozo. €17M era jackpot.

 

Para analisar caso a caso, de acordo com as propostas recebidas, temos o Saviola, o Aimar, o Matic, o Rodrigo, o Nolito e o Carlos Martins. Acho que são os únicos, dos imprescindíveis, com algum potencial de venda.

 

Eu apostaria começar a época com Artur, Mika e Oblak; Maxi Pereira e XX ; Carole e XX; Luisão, Garay, Sidnei e Miguel Vitor; Javi, Matic e Rubén Amorim; Aimar, Bruno Cesar, Witsel e Carlos Martins;  Nolito, Enzo Peréz, Melgarejo e XX;  Nélson Oliveira, Rodrigo e XX/Cardozo.

 

Não me peçam sugestões de contratações, mas acho que com €20M encontravamos 3 bons jogadores, sendo que dois deles são defesas, jogadores habitualmente de menor cotação. E para o lugar de defesa-direito não precisa ser um titular indicutível, até porque é dificil quando a concorrência se trata do TT de alta rotação, Maxi Pereira. Com €37M não faltariam boas oportunidades de negócio.

 

Quanto ao treinador, não sei. Mudar só se for para melhor e, actualmente, treinadores disponíveis e acessíveis para o Benfica, não vejo grandes alternativas disponíveis, excepto, talvez, Louis Van Gaal.


o docontra e eu
Sempre a par
pesquisar neste blog
 
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


comentários recentes
Meus amigos lá é uma nova maneira de se tornar mui...
Nós somos um fornecedor de empréstimos de dinheiro...
Grave um depoimento dinheiro pronto quando bancos ...
Twitter
links
Twingly BlogRank