08
Abr 06
publicado por brmf, às 14:25link do post | comentar | ver comentários (10)

O governo, através do Ministro da Saúde, apresentou um anteprojecto de lei que proíbe a venda de tabaco a menores de 18 anos, como ainda, proíbe o fumo em restaurantes, bares, discotecas, locais de trabalho, centros comerciais, etc.

Foco-me na segunda parte da lei, visto que, no caso da primeira, concordo. Por uma questão de lógica e respeito ao sistema vigente (a maioridade atinge-se aos 18 anos no nosso regime).

O “estado paternal” quer restringir a liberdade de escolha individual, um dos pilares básicos das “sociedades livres”. Quer restringir tanto a liberdade dos fumadores como dos comerciantes.

Se a medida é no sentido de melhorar a saúde dos portugueses, porque não proibir o consumo do sal? Ou obrigar os restaurantes a moderar a utilização do sal nas suas refeições?
Está provado que o sal é uma das causas directas de distúrbios da tensão arterial (hipertensão) e que aumenta o risco de acidentes cerebrovasculares. Portugal é dos países que mais sal utiliza na sua dieta e é também o país com maior percentagem de acidentes cerebrovasculares (mais conhecidos por tromboses). É indiscutível uma relação causa-efeito entre o consumo de sal e o número de mortes deste tipo de acidentes.
Proíba-se o sal já!

A meditar sobre a proposta do governo levantou-se-me uma questão: num escritório com 4 fumadores onde nenhum se sente incomodado com o fumo do tabaco, a lei aplica-se? Segundo o que li nas notícias, a lei estabelece a interdição de fumar em todos os locais de trabalho à excepção “de áreas ao ar livre”. O que significa uma resposta positiva à questão. Se isto não é um atentado à liberdade das pessoas, o que é?


 

Em Espanha, tal medida, significou que certos restaurantes e bares aproveitaram a proibição como forma de publicidade. Colocaram cartazes a anunciar a permissão de fumadores dentro dos seus estabelecimentos (infringindo a lei).
Esta medida tem como principal “vantagem” a promoção da desigualdade concorrencial. Segundo li, apenas 10% dos estabelecimentos têm condições, em espaço e ventilação, para colocar uma área destinada a fumadores. Os estabelecimentos mais pequenos serão prejudicados. Nem parece de um governo socialista defender os grandes interesses!
 
O estado quer impor-nos um “mundo perfeito”. Não ao tabaco! Não ao álcool! Não ao ócio! Não ao prazer!...
 
Já outros, no passado, prometeram um “mundo perfeito” com os resultados que se conhecem. Os alemães acreditaram num “mundo perfeito”…(passe o exagero)
 
A questão não é legislativa. É de boa educação, de respeito e de cidadania!
Secções:

o docontra e eu
Sempre a par
pesquisar neste blog
 
Abril 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14
15

16
22

25
29



comentários recentes
Mettiamo a vostra disposizione un prestito da 1000...
<br />O grupo Maria Isco fornece ajuda para ...
Meus amigos lá é uma nova maneira de se tornar mui...
links
subscrever feeds